Eleições 2018: Candidatos ao Governo apontam ações de políticas públicas para as mulheres

O Rio Grande do Norte é o estado brasileiro com a maior proporção de feminicídios do País, segundo dados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Em 2017, o Tribunal de Justiça do Estado registrou 8,4 mil casos de violência doméstica contra as mulheres. Diante desse cenário, surge a necessidade de implantação de políticas públicas voltadas para as mulheres. A maioria dos candidatos ao Governo apostam em investimentos em delegacias especializadas para solucionar o problema.
Fátima Bezerra (PT), única mulher candidata ao Governo do RN, propõe iniciativas que garantam a autonomia econômica das mulheres e o empenho no cumprimento da Lei Maria da Penha. “Nós temos o compromisso implementar uma rede de proteção à vida das mulheres, recuperar e ampliar o número de delegacias de atendimento e a construção de Casas Abrigo”, completou.
Carlos Eduardo Alves (PDT) propõe a implementação de delegacias regionais especializadas no atendimento de mulheres em cidades polos do RN, a garantia de direitos das mulheres em situação de violência e a criação de Casas Abrigo nas áreas de maior incidência da violência doméstica.
Robinson Faria (PSD) propõe o desenvolvimento de um aplicativo para denúncias e orientações e a criação de mais delegacias da mulher.

Entre as propostas de Brenno Queiroga (Solidariedade), estão à qualificação e inserção das mulheres no mercado de trabalho e o reconhecimento da violência de gênero. “Nós pretendemos criar também um protocolo de atendimento específico para casos de violência contra a mulher. Um plano transversal, que atinja todos as secretarias do estado”, completou o candidato.
Carlos Alberto (PSOL) aposta na educação para solucionar o problema. “O feminicídio é um problema grave que vem de uma cultura machista arraigada na sociedade. Isso só pode ser transformado, à longo prazo, através da educação. Mas agora, é necessário investir nas delegacias especializadas e na polícia feminina”, afirmou.
O candidato Heró Bezerra (PRTB) propõe a criação de um Centro de Referência da Mulher com atendimento psicológico e jurídico para dar suporte a mulheres que passaram por situação de violência e a capacitação dos profissionais envolvidos nesse atendimento. Dário Barbosa (PSTU) defende a construção de creches gratuitas e em tempo integral e a criação de uma Secretaria Estadual dos direitos das mulheres.
Freitas Jr (Rede) não apresenta propostas nesse âmbito em seu plano de governo.
Agora RN