Após críticas de Haddad, Mourão afirma que vai processar artista que o acusou de ser torturador


O general da reserva Hamilton Mourão, vice na chapa do candidato à Presidência pelo PSLJair Bolsonaro, disse que vai processar o cantor e compositor Geraldo Azevedo que o acusou em um show no fim de semana de torturá-lo durante o regime militar. Ao Estado, Mourão afirmou que em 1969, ano em que o artista esteve preso pela primeira vez, ainda não tinha ingressado no Exército. Procurado pela reportagem na manhã desta terça-feira, Azevedo negou que o candidato a vice na chapa de Bolsonaro estivesse entre os militares que o torturaram quando ele foi preso, em 1969 e em 1974. Nesta terça, 23, o candidato do PTFernando Haddad, acusou Mourão de ter sido torturador durante a ditadura brasileira.

Estadão